Munchkin em Português: o Retorno!

Em Julho, a Galápagos Jogos (aquela do Robin Hood) anunciou durante a World RPG Fest que iria relançar, em parceria com a Edge, o jogo Munchkin, da Steve Jackson Games.

Caixa da nova versão: esquema de cores e formato interessantes

Você provavelmente já leu mais sobre o Munchkin (aqui), mas caso não tenha, um resumo rápido: é um card-game não colecionável (significa que cada jogador NÃO precisa comprar um monte de cartas e montar seu baralho, o jogo é completo) de muito humor, que tira sarro dos jogadores de RPG de mesa tradicionais, além de vários ícones da fantasia medieval. O jogo é um sucesso lá fora, já foi publicado ha mais de 10 anos e possui várias expansões e variantes, cada uma mais maluca e divertida. É um jogo para sacanear os amigos e dar muitas risadas. A Devir havia publicado uma versão antiga por aqui, que está esgotada há anos, e agora ela volta bem repaginada.

Devido à parceria com a Edge, a versão da Galápagos possui design similar ao das versões francesas e espanholas do Munhckin. As cartas são coloridas, seguindo os padrões da SJGames de 2010 (a versão da Devir seguia o antigo modelo de cores, meio sépia). Possuem o mesmo tamanho da versão americana, mas o verso, apesar de usar a mesma ilustração, apresenta cores diferentes. No topo das cartas, simbolos e cores destacam informações importantes, como o Nível dos Monstros, o bônus de Itens, e efeitos diversos.

Visão geral das cartas, coloridas.

A tradução também sofreu alterações pequenas, em alguns casos para melhor e em outros priorizando o humor à fidelidade. O Lulazilla, por exemplo, virou Polvozilla (o que pode gerar futuros problemas, já que o Item de uma futura expansão é uma Espada que Mata Tudo menos Lulas, que interage com o Lulazilla e com o monstro Squid do Munchkin Fu). O Bullrog (bull + Balrog), por algum motivo, continuou Bullrog, ao invés do antigo Boirog. O 11-foot Pole, que é uma vara, virou uma lança (e perde a sua interação com o Pitbull). Algumas mudanças realmente não possuem explicação ou razão de ser, mas fica claro que o foco é deixar tudo mais humorado.

Visão geral de uma carta de Maldição. O ícone hexagonal verde no topo indica o tipo de carta.

O manual de regras tem um formato diferente do americano, como um pequeno livreto de 12 páginas. O espaço é muito bem aproveitado, as regras correspondem às da versão revisada, com mais detalhes e esclarecimentos. É curiosa, entretanto, a escolha do termo “Dungeon” para as cartas de Portas : não apenas por usar um termo em inglês, mas por utilizar um termo que a própria SGJames botou um desuso para não confundir com as Dungeons, cartas especiais que vem na expansão Munchkin 6 e para padronizar: todos os jogos possuem Portas. Nas versões antigas, o de fantasia tinha Dungeons, o espacial Stations, o de vampiro Alleys, etc. O esquema de cores do manual também é bem ruim para a leitura: uma mancha marrom no centro dificulta visualizar o texto que por vezes passa por cima.

Manual de regras + dado personalizado

Aliás, as cartas do jogo são, em geral, bem ruins de ler: o texto fica contido em uma caixa  espremido, deixando as ilustrações também espremidas e pequenas. Usar um texto vermelho em partes, para dar destaque, também não ajudou. O design americano (que era o mesmo que a Devir usou) era mais limpo e agradável, deixando o texto ocupar a carta inteira. Apesar de mais caótico, exigia bem menos da visão (meu astigmatismo agradece) e combina melhor com o clima do jogo.

3872 Orcs: cartas de monstro, com suas habilidades especiais e Coisa Ruim. No topo, ícone com o Nível do Monstro.

O verso das cartas, como já dito, usa desenhos idênticos ao originais, para distinguir Portas e Tesouros. Mas possuem um esquema de cores diferente: ao invés do marrom e bege, é acizentado, o que pode fazer algumas pessoas não misturarem as expansões americanas com essa versão. Atrapalha um pouco que ambos os decks possuam a mesma cor, apesar da ilustração diferente, é mais fácil uma carta ou outra se misturar na pilha oposta.

Verso das cartas: cor idêntica dificulta a separação imediata. Um detalhe menor.

Apesar das críticas em relação ao design, a qualidade das cartas está muito boa, superior à versão da Devir. O jogo vem acompanhado também de um dado, amarelo e preto, personalizado com o símbolo do Munchkin no lugar do número 1. A caixa é maior e muito mais resistente, apesar que seu formato quadrado pode deixá-la dificil de abrir em alguns momentos. Acompanha também saquinhos plásticos para guardar as 168 cartas. (95 Portas e 73 Tesouros)

A volta do Munchkin é certamente um marco: o jogo possui uma legião de fãs antigos e potencial para conquistar muitos novos: mesmo aqueles que nunca se envolveram diretamente com o RPG podem se divertir com as viradas e maldades que uma partida envolvem. Caso o sucesso se repita aqui, a Galápagos pretende lançar as expansões e os jogos derivados, o mais breve possível, esperam os fãs.

Todos os componentes: caixa, manual, dado e 168 cartas.

Esperamos que se concretize essa expectativa e que o Munchkin alavanque a Galápagos, que vem fazendo um excelente trabalho no segmento de jogos de tabuleiro, com títuos diversificados, para todos os gostos.

Munchkin – Galápagos Jogos
Autores: Steve Jackson e John Kovalic
Preço: 69, 90 reais
Conteúdo: 168 cartas, manual de regras, dado personalizado
Participantes: 3-6
Tempo sugerido: 1 hora
Recomendado para maiores de 10 anos.

About Igor "Bone" Toscano

Já foi MIB da SJGames, playtester, tradutor, revisor, organizador de eventos locais. Só falta mesmo publicar um jogo.
This entry was posted in Jogos and tagged , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

10 Responses to Munchkin em Português: o Retorno!

  1. Thomas Dahl says:

    Ótimo post!

    Outras mudanças que eu reparei na versão da Galápagos:

    Atualmente no jogo americano o mago precisa de 3 cartas no mínimo, mas, por algum motivo, a Galápagos usou o texto antigo da carta, que não tem essa regra, deixando o mago bem mais poderoso.

    As Joelheiras da Sedução (Kneepads of Allure) deles não permitem que vc ganhe nível qdo usadas e o monstro “Tíbio e Peronio” (Wight Brothers) perdeu o status de “morto-vivo”.

    Ainda foi utilizido o texto antigo, em que a regra é menos clara, nas cartas “Clérigo” e “Isso é Trapaça” (Cheat!).

    Não entendi pq dessa tradução esquizofrênica – outras cartas foram traduzidas perfeitamente, usando o texto mais recente da Steve Jackson. Fiquei me perguntando se eles não fizeram uma tradução da tradução, usando o texto das cartas da Edge, talvez?

    Não tem nada que quebre o jogo, mas eu preferia que eles tivessem seguido as regras da Steve Jackson à risca…

    • Igor Bone says:

      É verdade, Thomas. Eu não havia lido cada carta detalhadamente, realmente é estranho que tenham feito essas mudanças.

      Além das que você citou, notei mais algumas mudanças: o Espetinho de Rato não tem a especificação que pode ser descartado para Fugir mesmo se ele não estiver em uso, a Poção da Amizade não especifica que você pode Vasculhar a Sala, Roubar um Nível virou uma carta de GUAL, Amiguinho (por que não “Parceiro”?) diz que todos os bônus são dobrados, quando na verdade apenas os Modificadores de monstro deveriam ser, mas não os bônus de Itens de uso único, Maldição! Espelho Mágico diz “bônus de armas”, ao invés de “Itens que não sejam Armaduras”, também um texto antigo.

      E uma mudança que eu acho consideravelmente séria: os modificadores de monstro todos dizem “+5/+10 para o Nível do monstro”. A SJGames fez questão de tirar o termo “Nível” dessas cartas, por gerarem confusão e interação indevida com outras cartas.

      E ainda tem a opção esquisitissima de usarem “negócio na cabeça” pra Headgear.

  2. Igor Bone says:

    Guilherme, não são exatamente erratas, já que a SJGames deixa as editoras fazerem essas mudanças nas cartas. Mas eu posso ver se posso listar as principais mudanças.

  3. Amigo poderia me ajudar em algumas duvidas? Comprei o jogo base o 1 da galapagos jogos e o seguinte as cartas de raça e classe possui alguns desenho femininos( veio todas com 2 desenho de homen e 1 de mulher), se baixar uma ladra serei do sexo feminino ou vale o meu sexo, no caso masculino? se valer a carta só posso baixar outra raça e classe se for feminino também?

    Quanto a troca de cartas com jogadores, é a vontade?

    • Igor Bone says:

      Como indicado no manual, o sexo do personagem é igual ao do jogador. Você só muda de sexo caso a carta indique claramente isso (como por exemplo a Maldição! Mudança de Sexo). A arte de qualquer carta é meramente ilustrativa e não possui nenhuma valor em jogo.

      O manual também indica que você não pode trocar cartas livremente, apenas Itens (ou seja, cartas que possuem um valor em ouro). Os Itens só podem ser trocados da mesa.

      Durante a fase de Caridade, caso você possua mais de 5 cartas na mão, deve entregar cartas para o(s) jogador(es) de menor Nível. Nesse caso, você pode dar qualquer carta

  4. douglas says:

    estou em duvida sobre a habilidade de clérigo Ressurreição. pode usar nas cartas “portas”? isso não pdoeria gerar um circulo vicioso e apelativo de rotatividade de cartas?

  5. Henrique Silva says:

    Há a possibilidade de postarem uma listagem das cartas de Munchkin 1, 2 e 3?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s