Top 5 – Puny Parker

Quando Victor Cafaggi começou a publicar o seu Puny Parker, ele apenas estava tentando se disciplinar a desenhar com regularidade. Misturando seu herói favorito da infância (Cafaggi é um especialista nas histórias do Homem-Aranha) e algumas claras influências de Charles Schuls (criador da tira Peanuts – de Charlie Brown, Snoopy e cia) e Bill Watterson (Calvin & Hobbes), as tiras de Puny Parker iniciaram como um fanfic, uma pequena homenagem de fã, mas cresceram para muito além disso.


Ao longo de quase 3 anos, Puny Parker conquistou inúmeros fãs e projetou o criador para muito além das tiras virtuais. Cafaggi, que até então não tinha publicado nada, já começou grande: sua primeira história foi no livro MSP 50, no qual 50 artistas nacionais homenagearam os cinquenta anos de carreira de Maurício de Souza. Não parece tanto, no meio de tanta gente. Não fosse o fato de que sua história encerra o livro. Com chave de ouro. Alguns dizem que é a melhor história do livro. Histórias de lágrimas que rolaram pipocam.

Com isso, Cafaggi se consolidou como uma promessa das HQs. Enquanto buscava novos projetos, Cafaggi continuou dando rumo às histórias do Pequeno Parker, misturando suas memórias de infância à mitologia do personagem. O resultado é simplesmente fantástico. É feito de forma tão simples, mas tão verossímel e cheio de graça e capaz de conquistar até mesmo quem nunca leu nada do aracnídeo. Ao mesmo tempo, os fãs de longa data vão poder se deliciar em buscar todas as referências à histórias antigas e cultura pop.

Publicado quase como um seriado (as tirinhas foram publicadas em blocos, que o autor chama de “temporadas”), interlaçadas por alguns hiatos e reúnidas em arquivos para download. Como todo bom seriado, cada temporada vem recheaada de extras e podem ser baixadas aqui, aqui e aqui.

Outra grande sacada foi publicar as tiras em português e inglês, deixando-a universal.

Puny Parker é tão bom, mas tão bom, que qualquer grande fã do Aranha pode pensar que aquilo é oficial, que a infância de Peter foi exatamente aquilo, e com isso, respeitar toda grande história escrita até hoje. Longa vida a Puny Parker!

Autógrafo conseguido na RioComicon. Curioso como precisei ir pro RJ pra consegui-lo, sendo que esbarro com o Victor direto por aqui, hehehe

PS: Após o término de PP, Cafaggi ainda publica no blog tiras de seu personagem Valente, que saem no jornal o Globo todo os domingos. Vale a pena acompanhar também.

About Igor "Bone" Toscano

Já foi MIB da SJGames, playtester, tradutor, revisor, organizador de eventos locais. Só falta mesmo publicar um jogo.
This entry was posted in TOP 5 and tagged , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s